COVID-19 Medidas e Informações

Novas Acessibilidades à Colina do Castelo

Este projeto assenta na introdução de meios mecânicos que permitem a ligação entre a parte baixa da cidade e o topo da Colina, permitindo atenuar as barreiras impostas pela topografia do terreno e pelas características do tecido urbano desta área histórica e que se constituem como fatores de exclusão social e de isolamento territorial.

São 3 os percursos já implementados:

Em agosto de 2013 foi concluído o percurso de ligação da Baixa ao Castelo que integrou a requalificação da Rua da Vitória e a criação de dois elevadores públicos, um na Rua dos Fanqueiros/Rua da Madalena e outro no Mercado o Chão do Loureiro. Estes elevadores têm contribuído para uma forte dinamização da zona, registando-se uma média de entradas e saída de  60.000 visitantes/mês.

Partindo dos Cruzeiros de Lisboa, entra-se no bairro pelo Largo do Chafariz de Dentro, considerado pelo Olissipógrafo Norberto de Araújo o “Rossio de toda a Alfama”. Seguindo pela Rua de São Pedro, chega-se ao Largo de São Miguel, onde se encontram alguns troços de escadas que conduzem à Rua Norberto de Araújo. 

Nesta rua, num edifício de sua propriedade, o Município instalou um elevador que permitirá vencer um desnível de cerca de 15m, ligando, assim, a Rua Norberto de Araújo ao Miradouro de Santa Luzia. O projeto é da autoria do arquiteto Frederico Valsassina e Mónica Mendes Godinho. A partir do Miradouro, o percurso em direção ao Castelo, segue pela Travessa de Santa Luzia, pelo Largo do Contador-Mor e pela Travessa do Funil, até encontrar a Porta Norte da Cerca Velha, ao Castelo.

O percurso da Mouraria, através do qual se pretende estabelecer uma ligação contínua, parcialmente assistida por meios mecânicos (escadas rolantes), entre o Martim Moniz e o Castelo de São Jorge, é composto por 3 troços do Martim Moniz à Rua Marquês de Ponte de Lima, desta à Costa do Castelo e a Costa do Castelo ao Castelo de São Jorge. O primeiro troço encontra-se já concluido A sua concretização permitiu vencer os desníveis impostos pela topografia do território e aceder ao topo da Colina em condições de maior conforto e segurança, através de um Sistema de escadas rolantes instalado nas Escadinhas da Saúde. 

A criação deste percurso insere-se, ainda, na estratégia que o Município tem vindo a implementar neste bairro histórico ao longo dos últimos anos, no sentido de promover, não só a sua requalificação, como também a sua integração no contexto da cidade, contrariando o isolamento que lhe foi sendo conferido pela sua história e características urbanísticas, apesar da sua centralidade e proximidade à Baixa. Neste contexto foi ainda executada a requalificação dos passeios da Rua da Madalena, com a introdução de novos materiais por forma a melhorar o atrito, e assim a fruição do espaço público em condições de segurança para o bem-estar da comunidade (local e visitante), e com o menor impacto no património edificado.

Estão em desenvolvimento mais dois percurso

Com a sua concretização pretende-se ligar o Miradouro Sophia de Mello Breyner Andersen à Alta Mouraria locais que, apesar da sua proximidade geográfica, permanecem separados por inúmeros obstáculos decorrentes do sinuoso traçado da malha urbana e dos acentuados desníveis que as caracterizam, e que constituem fatores dissuasores da circulação pedonal e do seu pleno usufruto. Esta ligação irá igualmente permitir, através de um funicular, a integração do território designado como Alta Mouraria nos circuitos de visita da cidade, e rentabilizar os investimentos aí realizados, caso do Centro de Inovação da Mouraria, no Quarteirão dos Lagares.

O Percurso da Sé preconiza a ligação entre o Campo das Cebolas e o Largo da Sé, através da introdução de um elevador que ligará ao topo norte das Portas do Mar e às Cruzes da Sé, vencendo cerca de 12 metros de diferença de nível.