Programa Municipal de Comboios de Bicicletas de Lisboa

Programa de Mobilidade Escolar em que os alunos vão de bicicleta para a escola acompanhados por monitores. Tal como um “comboio” normal, tem uma linha/percurso e horários definidos. A participação é gratuita, mediante inscrição obrigatória.

Este programa visa sensibilizar e promover a adoção de hábitos de mobilidade ativos e sustentáveis nas deslocações para a escola, capacitando as crianças para o uso utilitário e autónomo da bicicleta em contexto citadino. 

Linhas de comboio de bicicletas

  • Escola Básica do Parque das Nações (CB1)
  • Colégio Pedro Arrupe (CB2)
  • Agrupamento de Escolas Dona Filipa de Lencastre (CB3)
  • Escola Básica Bairro do Restelo (CB4)
  • EB 2.3. Telheiras (CB5)
  • Escola Alemã de Lisboa (CB6)
  • Escola Básica Sarah Afonso (CB7)
  • Escola Básica Paulino Montez (CB8)
  • Jardim-Escola João de Deus (CB9)
  • EB 2.3. de Paula Vicente (CB10)
  • Colégio do Sagrado Coração de Maria (CB11)
  • EB do Bairro de São Miguel (CB12)
  • EB1 Telheiras (CB13)
  • EB São Vicente Telheiras (CB14)
  • EB Eugénio dos Santos (CB15)
     
  • Frequência: Uma vez por semana
  • Horário: São comunicados a quem efetuar inscrição

Como participar

É necessário cumprir as seguintes condições para apanhar o comboio de bicicletas:  

  1.     estar inscrito numa linha de comboio;
  2.     ter equilíbrio razoável na bicicleta (sem rodinhas e já sem quedas frequentes);  
  3.     saber usar os travões;  
  4.     ter uma bicicleta em boas condições.  

Depois de inscrever o/a seu/sua educando/a, será contactado telefonicamente e receberá a confirmação da inscrição. Logo que o comboio reúna as condições de funcionamento, poderá começar a viajar. 

Será feito para cada participante um seguro de acidentes pessoais de responsabilidade civil. 

O comboio tem uma linha/percurso e horários definidos, com algumas “paragens/estações” de referência. Os maquinistas do comboio deverão estar informados sobre a participação do seu passageiro e o ponto em que ele entrará. 

Existem algumas regras simples que os passageiros têm de seguir, como condição para integrarem os comboios de bicicleta:  

1. Ir em fila indiana com os colegas, sem fazer ultrapassagens;
2. Prestar atenção ao que dizem os/as maquinistas, fazer o que eles indicarem e não ultrapassar o/a maquinista da frente;
3. Ter muita atenção aos cruzamentos. Abrandar e prestar mais atenção à estrada quando se aproxima de um cruzamento. 

Cada linha tem um grupo Whatsapp onde se partilham com os encarregados de educação informações práticas e a localização do comboio, em tempo real. 

Cada comboio terá no mínimo 1 maquinista (monitor) por cada 4 passageiros. Os maquinistas são membros do programa, pais que aderem como maquinistas (com formação para o efeito), outros voluntários ou membros das entidades locais parceiras. Se desejar participar como maquinista, é extremamente bem-vindo e estará a ajudar a tornar esta iniciativa possível. 

A bicicleta do seu filho/a ou educando deverá estar em boas condições de funcionamento: 

1. Os travões funcionam bem; 
2. Os pneus estão bem cheios; 
3. O selim está a uma altura adequada – os pés chegam ao chão, mas sem as pernas ficarem dobradas. 

As duas últimas condições ajudam a que o passageiro não tenha que fazer um esforço excessivo e, eventualmente, fique desanimado para ocasiões futuras.


Este Programa Municipal baseia-se num projeto criado por um pai que, quando o seu filho fez 5 anos e já sabia controlar a bicicleta, decidiu criar um comboio de bicicletas para a escola do seu filho – o CicloExpresso do Oriente. Este pai queria contribuir para que mais crianças pudessem ir de bicicleta para a escola. O primeiro comboio partiu a 25 de maio de 2015 e, logo no primeiro dia, levou 12 crianças. Pais, voluntários e membros da Junta de Freguesia do Parque das Nações foram garantindo que, todas as sextas-feiras e de forma quase ininterrupta, o CicloExpresso do Oriente continuasse a levar crianças à Escola do Parque das Nações. 

No início de 2017, surgiu outro CicloExpresso - o de Barrocas, em Aveiro. Também este liderado por pais teve sucesso e continua a levar crianças à Escola Básica das Barrocas. 

O CicloExpresso foi um projeto pioneiro na criação de comboios de bicicleta em Portugal e obteve uma visibilidade significativa, tendo tido múltiplas referências na comunicação social. Foi ainda reconhecido como a história de sucesso portuguesa pela Organização Mundial de Saúde, no domínio da promoção da atividade física nas escolas. 

A Câmara Municipal de Lisboa, inspirada nesta iniciativa de sucesso, no âmbito do desenvolvimento de um Programa de Mobilidade Escolar, que promove a mobilidade ativa e sustentável nas deslocações para a escola deu início a um projeto-piloto Comboios de Bicicletas e, posteriormente a um Programa Municipal que se iniciou no ano letivo de 2020/2021, com 11 escolas e 18 percursos.