Corredor Verde de Monsanto

O Corredor Verde de Monsanto integra a estrutura ecológica da cidade ligando o Parque Florestal de Monsanto ao Parque Eduardo VII, numa extensão de cerca de 2,5 km, com uma área de 51 hectares e uma rede de trilhos de cerca de 40 km.

Idealizado nos anos 70 e defendido pelo Arq. Ribeiro Telles ficou concluído em 2012. Sendo o primeiro corredor verde da cidade de Lisboa, dotou a capital de uma estrutura ecológica com diversos jardins e parques, uma área experimental de prados biodiversos, um parque hortícola, uma seara, equipamentos de usos polivalentes como ciclovias, circuitos de manutenção, parque infantil, skate-parque, restaurantes, quiosques e miradouros.

Ao longo dos 51 hectares de áreas verdes têm sido plantadas centenas de árvores e arbustos, entre os quais carvalhos, sobreiros, pinheiros mansos, amendoeiras e ameixoeiras.

De sul para norte, o Corredor Verde de Monsanto integra:

O Parque Florestal de Monsanto, pela sua dimensão, constitui uma unidade autónoma dos restantes corredores verdes.