Relações Internacionais

A geminação e a ligação entre Lisboa e outras cidades, cimentam relações de amizade, intercâmbio e solidariedade, contribuindo para fomentar a confiança mútua, a amizade e compreensão a um nível pessoal e cívico, de celebrar e reforçar os fortes laços históricos e culturais que unem as cidades, e de reconhecer um interesse mútuo no comércio, indústria e educação.

  • Madrid (Espanha) - 31 de maio de 1979
  • Rio de Janeiro (Brasil) -10 de junho de 1980
  • Maputo (Moçambique) - 20 de março de 1982
  • Macau (Portugal) - 24 de julho de 1982
  • Capitais Iberoamericanas - 12 de outubro de 1982
  • Praia (Cabo Verde) - 26 de maio de 1983
  • Malaca (Malásia) - 19 de janeiro de 1984
  • Bissau (Guiné) - 28 de junho de 1985
  • São Tomé (São Tomé e Príncipe) - 28 de junho de 1985
  • Capitais de países de expressão portuguesa - 28 de junho de 1985
  • Luanda (Angola) - 11 de outubro de 1988
  • Rabat (Marrocos) - 22 de março de 1988
  • Cachéu (Guiné) - 14 de novembro de 1988
  • Budapeste (Hungria) - 28 de setembro de 1992
  • Guimarães (Portugal) - 29 de junho 1993
  • Salvador (Brasil) - 3 de abril 1995
     

A Câmara Municipal de Lisboa é membro, ou tem contactos permanentes com as seguintes entidades:

Lisboa foi admitida como membro da Rede das Cidades Interculturais e participante no Programa Cidades Interculturais em 2012. O objetivo do programa é apoiar as cidades no desenvolvimento de estratégias interculturais para a gestão da diversidade e para a integração dos imigrantes e das minorias.

Na sua qualidade de participante, a cidade analisará, com a participação de peritos internacionais, funcionários, cidadãos e representantes de outras cidades, as suas políticas e governação, numa perspetiva intercultural, aprendendo com práticas bem-sucedidas de outras cidades. Identificará um conjunto de objetivos, indicadores e um plano de ação que constituirão a sua estratégia intercultural.

Conheça o compromisso político

Criada em 2017, reúne 15 cidades, vinculadas à vida e obra de Miguel de Cervantes (Alcalá de Henares, 29 de setembro de 1547 – Madrid, 22 de abril de 1616) na Europa, África e América: Alcalá de Henares, Argamasilla de Alba, Argel, Azul, Barcelona, Ciudad Real, Córdoba, El Toboso, Esquivias, Lisboa, Madrid, Montevideo, Sevilla, Toledo e Valladolid.

A adesão da câmara a esta rede justifica-se, desde logo, pela sua presença em Lisboa, entre 1581 e 1583, no reinado de Felipe II de Espanha, quando existia uma união dinástica entre as monarquias de Portugal e Espanha.

Os representantes de cada cidade, comprometem-se a trabalhar em conjunto na difusão da obra e da vida de Miguel de Cervantes, nomeadamente através do intercâmbio de atividades e experiências.