Futuro do Trabalho

Lisboa afirma-se hoje como uma capital europeia e cidade global com condições ímpares que lhe permite posicionar-se como um polo de desenvolvimento e atração de emprego, talento e inovação.

A iniciativa Future of Work nasce da ambição de preparar Lisboa para o futuro do trabalho e de colocar os desafios do emprego num contexto de forte disrupção e imprevisibilidade no centro da agenda da cidade de Lisboa para os próximos anos, apostando na construção partilhada de um Mapa Estratégico para o Futuro do Trabalho em Lisboa. 

Procuramos refletir sobre o futuro do trabalho na cidade, investindo em parcerias que nos apoiem no objetivo de tornar Lisboa mais competitiva, inovadora, inclusiva e melhor preparada para lidar com os complexos desafios futuros. 

Como e onde iremos trabalhar no futuro? Que competências devemos adquirir para sermos relevantes e competitivos? Estarão as empresas preparadas para os desafios do futuro? Terão as pessoas consciência do que o mercado procura, das suas potencialidades e dos desafios que as espera?  

Pretendemos contribuir para tornar Lisboa uma cidade resiliente às rápidas transformações tecnológicas e sociais, garantindo que o seu talento se mantém competitivo ao mesmo tempo que consegue atrair e reter emprego e novas competências em linha com as exigências futuras. 

Para se manter a par das nossas iniciativas e parcerias, siga-nos no Linkedin e partilhe connosco as suas sugestões e comentários. 

Juntos fazemos mais e melhor!

  • Promover a identificação de  tendências de evolução do trabalho e emprego, transformação tecnológica e competências;
  • Promover a criação, qualidade, dignidade e a sustentabilidade do emprego;
  • Promover a empregabilidade da população ativa;
  • Contribuir para a reflexão e disseminação de conhecimento sobre o futuro do trabalho;
  • Promover o desenvolvimento de competências e talento em áreas críticas para o futuro do trabalho (nomeadamente na área tecnológica/digital, soft skills ...) e a aprendizagem ao longo da vida;
  • Promover a capacitação das organizações às transformações organizacionais, inovações tecnológicas e de processos de trabalho;
  • Contribuir para a promoção de processos de (re)orientação e transição de carreiras para áreas emergentes ou com potencial de crescimento;
  • Contribuir para a sustentabilidade e equidade do mercado de trabalho, promovendo o ajustamento quantitativo e qualitativo entre a oferta e a procura.

Paralelamente e prosseguindo as políticas transversais pretende-se:

  • Promover a conciliação da atividade profissional com a vida pessoal e familiar;
  • Promover a igualdade de acesso e de oportunidades no mercado de trabalho;
  • Garantir o direito à igualdade e não discriminação.