COVID-19 Medidas e Informações
 

Rede de água reutilizada vai crescer

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou hoje a proposta para a construção da Rede de Água Reutilizada de Lisboa na Zona Ribeirinha e Bairro Alto

Rede de água reutilizada

Depois do Parque das Nações, onde a infraestrutura já está construída, esta empreitada vai permitir regar todos os espaços verdes e lavar as ruas com água reutilizada na zona compreendida entre o Campo das Cebolas e o Largo de Santos, e também na zona norte do Bairro Alto. As obras deverão estar concluídas durante o ano de 2021.

É a primeira de uma série de obras necessárias para a construção de um sistema de condutas na cidade, que vai permitir criar uma rede de água reciclada e segura para reutilização na rega e lavagem proveniente das Fábricas de Água.

A redução global do consumo de água potável tem sido um dos grandes objetivos estratégicos do município, e a rede de água reutilizada é um passo decisivo nesse sentido, tendo sido uma das medidas mais valorizadas pela Comissão Europeia para a atribuição a Lisboa da distinção de Capital Verde Europeia 2020.

Esta diminuição tem-se vindo a verificar nos últimos anos (de 8 milhões de m3 em 2014 para 4 milhões de m3 em 2018), mas a existência de uma rede de água reutilizada permitirá à autarquia diminuir até 2025 o seu consumo de água potável para 1 milhão de m3 (poupança de 75%).

A Câmara de Lisboa estima que, alargada aos grandes consumidores industriais da cidade, a poupança de água potável em 2025 possa chegar aos 6 milhões de m3, volume de água idêntico a todo o consumo numa cidade como Aveiro.

Depois do Parque das Nações, onde a infraestrutura já está construída, esta empreitada vai permitir regar todos os espaços verdes e lavar as ruas com água reutilizada na zona compreendida entre o Campo das Cebolas e o Largo de Santos, e também na zona norte do Bairro Alto. As obras deverão estar concluídas durante o ano de 2021.

É a primeira de uma série de obras necessárias para a construção de um sistema de condutas na cidade, que vai permitir criar uma rede de água reciclada e segura para reutilização na rega e lavagem proveniente das Fábricas de Água.

A redução global do consumo de água potável tem sido um dos grandes objetivos estratégicos do município, e a rede de água reutilizada é um passo decisivo nesse sentido, tendo sido uma das medidas mais valorizadas pela Comissão Europeia para a atribuição a Lisboa da distinção de Capital Verde Europeia 2020.

Esta diminuição tem-se vindo a verificar nos últimos anos (de 8 milhões de m3 em 2014 para 4 milhões de m3 em 2018), mas a existência de uma rede de água reutilizada permitirá à autarquia diminuir até 2025 o seu consumo de água potável para 1 milhão de m3 (poupança de 75%).

A Câmara de Lisboa estima que, alargada aos grandes consumidores industriais da cidade, a poupança de água potável em 2025 possa chegar aos 6 milhões de m3, volume de água idêntico a todo o consumo numa cidade como Aveiro.

ler mais
ler menos