COVID-19 Medidas e Informações

detalhe

Cultura 

O Saber-Fazer da Calçada Portuguesa é Património Cultural Imaterial Nacional

A proposta de inscrição da "Arte e Saber-Fazer da Calçada Portuguesa", no Inventário Nacional de Património Cultural, foi apresentada em março deste ano, pela Câmara Municipal de Lisboa e Associação da Calçada Portuguesa. Despacho favorável da Direção-Geral do Património Cultural foi publicado dia 22 de julho.

O Saber-Fazer da Calçada Portuguesa é Património Cultural Imaterial Nacional

"Este é o primeiro mas decisivo passo para o objetivo de consagrar a Calçada Portuguesa como Património da Humanidade", considerou o secretário-geral da Associação da Calçada Portuguesa, António Prôa.

Marca identitária de Lisboa, a Calçada Portuguesa – arte de esculpir a pedra, conjugada com a criação de composições figurativas – é apontada por muitos como uma das razões para a singularidade da sua luz.

Além de Portugal, a calçada portuguesa está presente em locais como Espanha, Gibraltar, Bélgica, República Checa, China, Macau, Malásia, Timor-Leste, Angola, Moçambique, África do Sul, Brasil, Estados Unidos e Canadá.

"Este é o primeiro mas decisivo passo para o objetivo de consagrar a Calçada Portuguesa como Património da Humanidade", considerou o secretário-geral da Associação da Calçada Portuguesa, António Prôa.

Marca identitária de Lisboa, a Calçada Portuguesa – arte de esculpir a pedra, conjugada com a criação de composições figurativas – é apontada por muitos como uma das razões para a singularidade da sua luz.

Além de Portugal, a calçada portuguesa está presente em locais como Espanha, Gibraltar, Bélgica, República Checa, China, Macau, Malásia, Timor-Leste, Angola, Moçambique, África do Sul, Brasil, Estados Unidos e Canadá.

ler mais
ler menos