COVID-19 Medidas e Informações

Urbanismo

 

Novo Cais de Lisboa

Foi apresentado o Plano de Requalificação da Frente Ribeirinha. O novo Cais de Lisboa representa um investimento de 27 milhões de euros e estará concluído no segundo semestre de 2020.

Plano de Requalificação da Frente Ribeirinha

A obra, revelou Fernando Medina, avança em 3 fases: requalificação da Estação Fluvial Sul e Sueste "mantendo as linhas de Cottinelli Telmo", retirada do aterro do Cais das Colunas e reabilitação da Doca da Marinha. Este é "um velho sonho da cidade, que durante muitas décadas viveu de costas voltadas para o rio". Com esta reabilitação, "termina a renovação da frente ribeirinha entre Cais Sodré e Santa Apolónia".

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa falava durante a cerimónia de apresentação do projeto, que envolve ainda a reconstrução do Muro das Namoradeiras, a construção de cais de apoio e reforço de pontões, a criação do Bacalhau Story Centre e a recuperação do Navio Creoula.

O novo Cais de Lisboa vai beneficiar de verbas canalizadas do Fundo de Desenvolvimento Turístico, “uma das decisões mais estratégicas dos últimos anos”, sublinhou Medina. A taxa turística de 2€ atualmente cobrada em Lisboa, lembrou o também presidente da Associação de Turismo de Lisboa, destina-se à recuperação do património.

A obra, revelou Fernando Medina, avança em 3 fases: requalificação da Estação Fluvial Sul e Sueste "mantendo as linhas de Cottinelli Telmo", retirada do aterro do Cais das Colunas e reabilitação da Doca da Marinha. Este é "um velho sonho da cidade, que durante muitas décadas viveu de costas voltadas para o rio". Com esta reabilitação, "termina a renovação da frente ribeirinha entre Cais Sodré e Santa Apolónia".

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa falava durante a cerimónia de apresentação do projeto, que envolve ainda a reconstrução do Muro das Namoradeiras, a construção de cais de apoio e reforço de pontões, a criação do Bacalhau Story Centre e a recuperação do Navio Creoula.

O novo Cais de Lisboa vai beneficiar de verbas canalizadas do Fundo de Desenvolvimento Turístico, “uma das decisões mais estratégicas dos últimos anos”, sublinhou Medina. A taxa turística de 2€ atualmente cobrada em Lisboa, lembrou o também presidente da Associação de Turismo de Lisboa, destina-se à recuperação do património.

ler mais
ler menos