COVID-19 Medidas e Informações

Cultura

 

Lígia Fernandes e Manuel Fonseca são os vencedores da Residência Artística Lisboa/Budapeste

A Câmara Municipal de Lisboa seleciona anualmente dois artistas para duas residências artísticas em Budapeste, ao abrigo do acordo de geminação celebrado entre as duas cidades que define a realização deste programa de intercâmbio artístico.

Fotografia cedida por Lígia Fernandes

Lígia Fernandes e Manuel Fonseca vencem edição de 2020 da Residência Artística em Artes Plásticas e Visuais Lisboa/Budapeste.

O júri considerou que as propostas são as que melhor se enquadram na lógica de criação artística contemporânea do programa, destacando o mérito do trabalho desenvolvido ao longo da carreira artística dos candidatos, bem como o potencial de desenvolvimento e aprofundamento em Budapeste.

Os artistas vão estar em residência nos meses de junho e julho de 2021.

Lígia Fernandes

Lígia Fernandes (Setúbal, 1985) é licenciada em Desenho pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, onde atualmente frequenta o Mestrado em Pintura (com intercâmbios no Montenegro, Letónia e Estónia).

Desenvolve, desde 2017, projetos de desenho e pintura que exploram culturas, etnografias e identidades. O seu universo é um espaço onde cabem a partilha, o diálogo e a reflexão, e é muitas vezes o resultado de uma pesquisa específica ao lugar que parte do arquivo ou da colaboração. As obras procuram relacionar-se com a ideia de casa: o lugar e a sua memória coletiva. Desenvolveu projetos de retrato ao vivo em comunidades no âmbito de residências artísticas (Largo Residências, RÉSVÉS, Festival da Água e do Tempo), educação e mentoria artísticas (Festival PaRTES) e práticas artísticas de desenho e pintura em torno de imagens de recolhas familiares e etnográficas. Das bolsas e distinções destacam-se os prémios SGPCM-FBAUL e CGD-FBAUL.

Há, em todo o seu trabalho, a noção constante de ser portuguesa.

Manuel Fonseca

Licenciado em Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, em 2018, ano em que fez mobilidade ao abrigo do Programa Erasmus na Hungarian University of Fine Arts, em Budapeste, na Hungria.

Tem realizado diversas residências artísticas das quais se destaca Inter.meada no espaço Adães Bermudes, Alvito, em 2019, e integrado exposições coletivas em Portugal e no estrangeiro entre as quais "Devo-vos a verdade", na Avenida Elias Garcia, em Lisboa, Festival Soma, na Faculdade de Belas artes da Universidade de Lisboa, An Overwhelming Banality- Figuring Urban Existence, na Blokks Gallery e Misunderstood na Chimera Project Gallery, ambas em Budapeste em 2018.

Realizou a sua primeira exposição individual "O Coro" no espaço Kalvaria em Budapeste, em 2018. Em 2019, enquanto artista residente na Mart – Espaço de Projecto, aprendizagem e experimentação artística, integrou a exposição coletiva Ronda da Noite, tendo recebido uma menção honrosa. Finalista do Prémio Millenium BCP Arte Jovem 2019 – Carpe Diem Centro de Arte e Pesquisa.

Vive e trabalha em Lisboa.

 

Lígia Fernandes e Manuel Fonseca vencem edição de 2020 da Residência Artística em Artes Plásticas e Visuais Lisboa/Budapeste.

O júri considerou que as propostas são as que melhor se enquadram na lógica de criação artística contemporânea do programa, destacando o mérito do trabalho desenvolvido ao longo da carreira artística dos candidatos, bem como o potencial de desenvolvimento e aprofundamento em Budapeste.

Os artistas vão estar em residência nos meses de junho e julho de 2021.

Lígia Fernandes

Lígia Fernandes (Setúbal, 1985) é licenciada em Desenho pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, onde atualmente frequenta o Mestrado em Pintura (com intercâmbios no Montenegro, Letónia e Estónia).

Desenvolve, desde 2017, projetos de desenho e pintura que exploram culturas, etnografias e identidades. O seu universo é um espaço onde cabem a partilha, o diálogo e a reflexão, e é muitas vezes o resultado de uma pesquisa específica ao lugar que parte do arquivo ou da colaboração. As obras procuram relacionar-se com a ideia de casa: o lugar e a sua memória coletiva. Desenvolveu projetos de retrato ao vivo em comunidades no âmbito de residências artísticas (Largo Residências, RÉSVÉS, Festival da Água e do Tempo), educação e mentoria artísticas (Festival PaRTES) e práticas artísticas de desenho e pintura em torno de imagens de recolhas familiares e etnográficas. Das bolsas e distinções destacam-se os prémios SGPCM-FBAUL e CGD-FBAUL.

Há, em todo o seu trabalho, a noção constante de ser portuguesa.

Manuel Fonseca

Licenciado em Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, em 2018, ano em que fez mobilidade ao abrigo do Programa Erasmus na Hungarian University of Fine Arts, em Budapeste, na Hungria.

Tem realizado diversas residências artísticas das quais se destaca Inter.meada no espaço Adães Bermudes, Alvito, em 2019, e integrado exposições coletivas em Portugal e no estrangeiro entre as quais "Devo-vos a verdade", na Avenida Elias Garcia, em Lisboa, Festival Soma, na Faculdade de Belas artes da Universidade de Lisboa, An Overwhelming Banality- Figuring Urban Existence, na Blokks Gallery e Misunderstood na Chimera Project Gallery, ambas em Budapeste em 2018.

Realizou a sua primeira exposição individual "O Coro" no espaço Kalvaria em Budapeste, em 2018. Em 2019, enquanto artista residente na Mart – Espaço de Projecto, aprendizagem e experimentação artística, integrou a exposição coletiva Ronda da Noite, tendo recebido uma menção honrosa. Finalista do Prémio Millenium BCP Arte Jovem 2019 – Carpe Diem Centro de Arte e Pesquisa.

Vive e trabalha em Lisboa.

 

ler mais
ler menos