COVID-19 Medidas e Informações

detalhe

CulturaUrbanismo 

General Vasco Gonçalves homenageado em Lisboa

A Câmara Municipal de Lisboa presta homenagem a Vasco Gonçalves, inscrevendo o seu nome na toponímia da cidade, na freguesia do Lumiar.

Rua General Vasco Goncalves

Personalidade incontornável da Revolução de 25 de Abril de 1974, na qual participou ativamente e de forma incontornável ficando sempre lembrado pela sua luta antifascista e convicção de ideias.

Desempenhou, enquanto primeiro-ministro de Portugal, um papel determinante ao longo dos II, III, IV e V governos provisórios, que liderou sempre com uma vontade férrea de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Ingressou no curso de Engenharia Militar da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa em 1939 e prosseguiu os estudos em Coimbra, onde fez importantes amizades, nomeadamente, com Almeida Santos e José Rodrigues Raimundo.

Regressou à Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, ainda que durante um curto período, e inscreveu-se na Escola do Exército (futura Academia Militar) onde viria a graduar-se em Engenharia, sem nunca abandonar os seus interesses e convicções políticas. Fez várias comissões como Comandante da Companhia de Engenharia, nomeadamente na Índia, Moçambique, Angola e Cabo-Verde.

Ao inscrever o seu nome na memória toponímica da cidade, neste arruamento da freguesia do Lumiar, a Câmara Municipal de Lisboa presta homenagem ao homem e ao político pela relevância, determinação e sentido de missão postos ao serviço da democracia e da defesa dos interesses do povo português.

Personalidade incontornável da Revolução de 25 de Abril de 1974, na qual participou ativamente e de forma incontornável ficando sempre lembrado pela sua luta antifascista e convicção de ideias.

Desempenhou, enquanto primeiro-ministro de Portugal, um papel determinante ao longo dos II, III, IV e V governos provisórios, que liderou sempre com uma vontade férrea de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Ingressou no curso de Engenharia Militar da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa em 1939 e prosseguiu os estudos em Coimbra, onde fez importantes amizades, nomeadamente, com Almeida Santos e José Rodrigues Raimundo.

Regressou à Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, ainda que durante um curto período, e inscreveu-se na Escola do Exército (futura Academia Militar) onde viria a graduar-se em Engenharia, sem nunca abandonar os seus interesses e convicções políticas. Fez várias comissões como Comandante da Companhia de Engenharia, nomeadamente na Índia, Moçambique, Angola e Cabo-Verde.

Ao inscrever o seu nome na memória toponímica da cidade, neste arruamento da freguesia do Lumiar, a Câmara Municipal de Lisboa presta homenagem ao homem e ao político pela relevância, determinação e sentido de missão postos ao serviço da democracia e da defesa dos interesses do povo português.

ler mais
ler menos