COVID-19 Medidas e Informações

Educação

 

Escolas de Lisboa prontas para abrir em segurança

A poucos dias do arranque do ano letivo, Lisboa conta com mais três escolas completamente renovadas, num investimento de 6,8 milhões de euros. Em toda a cidade, graças a um trabalho articulado entre as equipas de cada escola e a Câmara, as escolas estão prontas para receber as crianças e jovens em segurança.

Escola Básica Ducla Soares

Além das três escolas agora concluídas – E B Luísa Ducla Soares, E B Arquiteto Victor Palla, E B Luísa Neto Jorge (cofinanciada por fundos FEDER no âmbito da candidatura do município ao PACTO 2020) – estão em processo de renovação mais 10 equipamentos no concelho de Lisboa, num investimento da autarquia superior a 38 milhões de euros.

Também no ensino pré-escolar, a autarquia alarga a oferta da rede pública, com 10 novas salas para cerca de 250 crianças, dos 3 aos 6 anos. Lisboa tem, atualmente, 1.825 vagas de jardim de infância.

A informação foi avançada pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, durante uma visita às escolas, acompanhado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e pelo vereador da Educação, Manuel Grilo

"Damos continuidade a um programa de renovação integral das escolas do primeiro ciclo, onde já foram intervencionadas mais de 100 escolas, num investimento superior a 90 milhões de euros", afirmou o autarca.

Descentralização de competências no domínio da educação

A transferência de competências na Educação entra este ano em vigor, em Lisboa, e "vai permitir, desde já, resolver o problema dos assistentes técnicos e operacionais", disse Fernando Medina.

Estarão, sublinhou, já no início do ano letivo ao dispor das escolas, que terão "uma bolsa de recrutamento para poder resolver os problemas de ausência, de doença", para que os profissionais não faltem ao serviço das escolas".

Em Lisboa, ano letivo arranca com novas medidas de apoio às famílias

  • comparticipação de 100 % nas refeições escolares para escalão A, B da Ação Social Escolar, do 2º e 3º ciclos e ensino secundário, e alunos com medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão;
  • meios informáticos para os alunos dos 3º e 4º anos com escalão A e B e/ou com necessidades de saúde especiais;
  • pagamento integral das Fichas de Apoio aos Manuais Escolares até 3º ciclo do ensino básico;
  • manutenção dos apoios anteriormente concedidos no âmbito das Tecnologias de Apoio à legislação em vigor, para todos os níveis de ensino;
  • alargamento dos apoios concedidos aos alunos integrados em Centros de Apoio à Aprendizagem; 
  • alargamento dos apoios na área dos transportes escolares, ao transporte individualizado, para alunos com mobilidade e autonomia reduzidas.

Além das três escolas agora concluídas – E B Luísa Ducla Soares, E B Arquiteto Victor Palla, E B Luísa Neto Jorge (cofinanciada por fundos FEDER no âmbito da candidatura do município ao PACTO 2020) – estão em processo de renovação mais 10 equipamentos no concelho de Lisboa, num investimento da autarquia superior a 38 milhões de euros.

Também no ensino pré-escolar, a autarquia alarga a oferta da rede pública, com 10 novas salas para cerca de 250 crianças, dos 3 aos 6 anos. Lisboa tem, atualmente, 1.825 vagas de jardim de infância.

A informação foi avançada pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, durante uma visita às escolas, acompanhado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e pelo vereador da Educação, Manuel Grilo

"Damos continuidade a um programa de renovação integral das escolas do primeiro ciclo, onde já foram intervencionadas mais de 100 escolas, num investimento superior a 90 milhões de euros", afirmou o autarca.

Descentralização de competências no domínio da educação

A transferência de competências na Educação entra este ano em vigor, em Lisboa, e "vai permitir, desde já, resolver o problema dos assistentes técnicos e operacionais", disse Fernando Medina.

Estarão, sublinhou, já no início do ano letivo ao dispor das escolas, que terão "uma bolsa de recrutamento para poder resolver os problemas de ausência, de doença", para que os profissionais não faltem ao serviço das escolas".

Em Lisboa, ano letivo arranca com novas medidas de apoio às famílias

  • comparticipação de 100 % nas refeições escolares para escalão A, B da Ação Social Escolar, do 2º e 3º ciclos e ensino secundário, e alunos com medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão;
  • meios informáticos para os alunos dos 3º e 4º anos com escalão A e B e/ou com necessidades de saúde especiais;
  • pagamento integral das Fichas de Apoio aos Manuais Escolares até 3º ciclo do ensino básico;
  • manutenção dos apoios anteriormente concedidos no âmbito das Tecnologias de Apoio à legislação em vigor, para todos os níveis de ensino;
  • alargamento dos apoios concedidos aos alunos integrados em Centros de Apoio à Aprendizagem; 
  • alargamento dos apoios na área dos transportes escolares, ao transporte individualizado, para alunos com mobilidade e autonomia reduzidas.
ler mais
ler menos