detalhe

Segurança 

Conselho Municipal de Segurança de Lisboa reúne de emergência

A reunião teve lugar a 25 de julho, na Câmara Municipal de Lisboa, e foi convocada pelo presidente do município, Carlos Moedas. Em causa, os problemas de violência recentes na cidade, com a morte de mais uma pessoa durante o fim de semana.

Reunião do Conselho Municipal de Segurança de Lisboa - Paços do Concelho

Na agenda, estiveram a situação atual de segurança pública na cidade, e a tomada de medidas que respondam à necessidade de articulação entre todos os intervenientes, no sentido de se alcançar um reforço imediato de efetivos, inclusive com pedido de intervenção da tutela, de modo a assegurar e manter a segurança em espaço público.

No final da reunião, o presidente da autarquia defendeu a existência de postos móveis de policiamento para as zonas turísticas mais problemáticas, onde, nos últimos tempos, se registaram “problemas de violência”, com mais uma morte durante este fim de semana.

Além de um pedido ao governo para “mais visibilidade da polícia” na cidade, Carlos Moedas manifestou a “capacidade de podermos ter postos móveis, ou seja, esquadras móveis, na cidade. As pessoas não estão a ver a polícia na rua e eu ofereço ao governo a capacidade de o fazer”.

Na agenda, estiveram a situação atual de segurança pública na cidade, e a tomada de medidas que respondam à necessidade de articulação entre todos os intervenientes, no sentido de se alcançar um reforço imediato de efetivos, inclusive com pedido de intervenção da tutela, de modo a assegurar e manter a segurança em espaço público.

No final da reunião, o presidente da autarquia defendeu a existência de postos móveis de policiamento para as zonas turísticas mais problemáticas, onde, nos últimos tempos, se registaram “problemas de violência”, com mais uma morte durante este fim de semana.

Além de um pedido ao governo para “mais visibilidade da polícia” na cidade, Carlos Moedas manifestou a “capacidade de podermos ter postos móveis, ou seja, esquadras móveis, na cidade. As pessoas não estão a ver a polícia na rua e eu ofereço ao governo a capacidade de o fazer”.

ler mais
ler menos