COVID-19 Medidas e Informações

detalhe

Direitos Sociais 

Condições deficientes encerram centros para pessoas em situação de sem-abrigo

A Câmara de Lisboa desativou dois centros temporários de acolhimento para pessoas em situação de sem-abrigo, devido à falta de condições em que se encontravam. Na origem do encerramento estão os relatórios das entidades que gerem os espaços, explicou a 22 de dezembro a vereadora Laurinda Alves, em conferência de imprensa.

 

casa dos direitos sociais

“Todas as pessoas foram encaminhadas para espaços com melhores condições”, garantiu a vereadora dos Direitos Humanos e Sociais.

Na Pousada do Parque das Nações estavam 19 pessoas, que foram realojadas no Quartel de Santa Bárbara, e na Casa dos Direitos Sociais duas pessoas, que serão realojadas nos próximos dias, disse Laurinda Alves.

“A partir do momento em que nos foram reportadas as condições da Casa dos Direitos Sociais, e da Pousada da Juventude no Parque das Nações, tivemos que agir. Todas as pessoas estão agora mais bem acolhidas e com a dignidade que merecem”, sublinhou.

De acordo com os relatórios das entidades que gerem os espaços, “a situação é insustentável, sendo um risco de saúde para todos, e coloca em causa toda a intervenção técnica nestes utentes, que se encontram em situações de saúde e sociais frágeis, e para quem este espaço devia ser de dignidade e conforto”.

A “desadaptação das instalações da Pousada, para assegurar as medidas de higiene ambiental de ventilação e circulação de ar, indispensáveis para a prevenção da concentração de vírus em espaços fechados”, foi igualmente reportada pelas equipas técnicas.

“Todas as pessoas foram encaminhadas para espaços com melhores condições”, garantiu a vereadora dos Direitos Humanos e Sociais.

Na Pousada do Parque das Nações estavam 19 pessoas, que foram realojadas no Quartel de Santa Bárbara, e na Casa dos Direitos Sociais duas pessoas, que serão realojadas nos próximos dias, disse Laurinda Alves.

“A partir do momento em que nos foram reportadas as condições da Casa dos Direitos Sociais, e da Pousada da Juventude no Parque das Nações, tivemos que agir. Todas as pessoas estão agora mais bem acolhidas e com a dignidade que merecem”, sublinhou.

De acordo com os relatórios das entidades que gerem os espaços, “a situação é insustentável, sendo um risco de saúde para todos, e coloca em causa toda a intervenção técnica nestes utentes, que se encontram em situações de saúde e sociais frágeis, e para quem este espaço devia ser de dignidade e conforto”.

A “desadaptação das instalações da Pousada, para assegurar as medidas de higiene ambiental de ventilação e circulação de ar, indispensáveis para a prevenção da concentração de vírus em espaços fechados”, foi igualmente reportada pelas equipas técnicas.

ler mais
ler menos