detalhe

CulturaEconomia e Inovação 

Comércio tradicional e Câmara debatem futuro do programa “Lojas com História”

Dar a conhecer o desenvolvimento do programa municipal “Lojas com História” e definir os próximos passos, foi o objetivo do encontro realizado a 22 de março, nos Paços do Concelho, entre a Câmara Municipal de Lisboa e representantes das lojas distinguidas.

Comércio tradicional e Câmara debatem futuro do programa “Lojas com História”

O comércio de proximidade "ocupa um lugar muito importante na estratégia da Economia e proximidade do município”, salientou Diogo Moura, vereador da Economia e Inovação, durante um debate aberto, com partilha de ideias destinadas a reforçar a importância do comércio tradicional na cidade. 

Durante o debate os comerciantes expressaram algumas das preocupações que afetam o comércio tradicional, como o aumento das rendas ou os vendedores sem licença, entre outras.

A alteração do regulamento, de forma a tornar definitiva a distinção – atualmente tem validade mínima de quatro anos –, foi outra das medidas defendida pelos comerciantes.

As dezenas de sugestões recolhidas vão permitir ao município traçar novas medidas no sentido da revitalização do projeto.

Desde 2015, ano da criação do projeto “Lojas com História”, foram distinguidas pelo município 199 lojas, visando a preservação e salvaguarda do comércio tradicional e histórico da cidade. O programa permite a candidatura a um Fundo Municipal de Apoio, que pode ser aplicado em obras de requalificação, equipamentos, edição de livros, websites, merchandising e publicidade, entre outras áreas.

Em 2022, as cidades de Lisboa, Barcelona, Paris e Roma iniciaram uma rede colaborativa para debater os desafios enfrentados pelo comércio histórico. No ano seguinte, foi assinada uma declaração na defesa de medidas de apoio, proteção e valorização do comércio emblemático. Ainda nesse ano, os autarcas reuniram em Bruxelas com Pina Picierno, vice-presidente do Parlamento europeu, para entregar a declaração que insta à proteção destas Lojas.

O comércio de proximidade "ocupa um lugar muito importante na estratégia da Economia e proximidade do município”, salientou Diogo Moura, vereador da Economia e Inovação, durante um debate aberto, com partilha de ideias destinadas a reforçar a importância do comércio tradicional na cidade. 

Durante o debate os comerciantes expressaram algumas das preocupações que afetam o comércio tradicional, como o aumento das rendas ou os vendedores sem licença, entre outras.

A alteração do regulamento, de forma a tornar definitiva a distinção – atualmente tem validade mínima de quatro anos –, foi outra das medidas defendida pelos comerciantes.

As dezenas de sugestões recolhidas vão permitir ao município traçar novas medidas no sentido da revitalização do projeto.

Desde 2015, ano da criação do projeto “Lojas com História”, foram distinguidas pelo município 199 lojas, visando a preservação e salvaguarda do comércio tradicional e histórico da cidade. O programa permite a candidatura a um Fundo Municipal de Apoio, que pode ser aplicado em obras de requalificação, equipamentos, edição de livros, websites, merchandising e publicidade, entre outras áreas.

Em 2022, as cidades de Lisboa, Barcelona, Paris e Roma iniciaram uma rede colaborativa para debater os desafios enfrentados pelo comércio histórico. No ano seguinte, foi assinada uma declaração na defesa de medidas de apoio, proteção e valorização do comércio emblemático. Ainda nesse ano, os autarcas reuniram em Bruxelas com Pina Picierno, vice-presidente do Parlamento europeu, para entregar a declaração que insta à proteção destas Lojas.

ler mais
ler menos