COVID-19 Medidas e Informações

Comércio e Turismo

Cultura

Economia e Inovação

 

Candidaturas ao apoio da CML ao comércio, restauração e cultura começaram dia 9 dezembro

As empresas e empresários em nome individual da restauração, comércio e retalho e atividades artísticas, já podem solicitar o apoio a fundo perdido disponibilizado pela CML, ao abrigo do programa Lisboa Protege

Equipas da CML vão percorrer todas as freguesias da cidade, distribuindo material informativo para apresentar o programa aos comerciantes

Podem candidatar-se empresas com uma faturação anual até 500 mil euros, e com uma quebra superior a 25% em 2020. O valor do apoio depende da faturação e vai dos 4 mil euros para empresas até 100 mil euros anuais, e os 8.000 para as que faturam entre 300 mil a 500 mil euros.

Este programa, no valor de 20 milhões de euros para os setores da restauração e comércio, e de dois milhões de euros, para as atividades artísticas, pretende apoiar mais de 80% do comércio e restauração da cidade, num conjunto de empresas que emprega mais de 100 mil pessoas na capital.

Este apoio será pago em duas parcelas a partir de dezembro de 2020 e março 2021 e é cumulativo com o apoio previsto pelo Estado, ou seja, o empresário poderá usufruir dos dois benefícios. O objetivo da CML é proceder ao pagamento em poucos dias, e ajudar a manter a atividade das empresas de Lisboa, preparando a cidade para o futuro.

Nos próximos dias, a CML terá várias equipas a percorrer todas as freguesias da cidade, distribuindo material informativo. A iniciativa contou, no primeiro dia das candidaturas, com a presença do presidente da autarquia, Fernando Medina, que se deslocou às freguesias de Arroios e Penha de França, para apresentar o programa aos comerciantes e esclarecer dúvidas sobre os procedimentos necessários para receber o apoio financeiro da autarquia.

Podem candidatar-se empresas com uma faturação anual até 500 mil euros, e com uma quebra superior a 25% em 2020. O valor do apoio depende da faturação e vai dos 4 mil euros para empresas até 100 mil euros anuais, e os 8.000 para as que faturam entre 300 mil a 500 mil euros.

Este programa, no valor de 20 milhões de euros para os setores da restauração e comércio, e de dois milhões de euros, para as atividades artísticas, pretende apoiar mais de 80% do comércio e restauração da cidade, num conjunto de empresas que emprega mais de 100 mil pessoas na capital.

Este apoio será pago em duas parcelas a partir de dezembro de 2020 e março 2021 e é cumulativo com o apoio previsto pelo Estado, ou seja, o empresário poderá usufruir dos dois benefícios. O objetivo da CML é proceder ao pagamento em poucos dias, e ajudar a manter a atividade das empresas de Lisboa, preparando a cidade para o futuro.

Nos próximos dias, a CML terá várias equipas a percorrer todas as freguesias da cidade, distribuindo material informativo. A iniciativa contou, no primeiro dia das candidaturas, com a presença do presidente da autarquia, Fernando Medina, que se deslocou às freguesias de Arroios e Penha de França, para apresentar o programa aos comerciantes e esclarecer dúvidas sobre os procedimentos necessários para receber o apoio financeiro da autarquia.

ler mais
ler menos