COVID-19 Medidas e Informações

Cultura

 

Câmara reforça apoio ao setor da arte contemporânea

Fundo de Aquisições de Arte Contemporânea (FAAC) da Câmara Municipal de Lisboa, alarga apoio às artes plásticas. A verba de 100 mil euros, para aquisição de obras de arte, foi alargada para 150 mil, face à crise no setor gerada pela pandemia Covid-19.

Arco Lisboa em edição online em 2020

Terminada mais uma ArcoLisboa – este ano em edição online – a autarquia decidiu reforçar o apoio ao setor das artes plásticas/arte contemporânea. As obras de arte adquiridas vão integrar o acervo municipal, à guarda do Museu de Lisboa/EGEAC.

As aquisições tiveram em conta a diversificação de artistas, géneros e gerações, portugueses ou residentes há mais de três anos em território nacional, alargando as possibilidades de aquisição também a autores sem representação comercial, privilegiando a consistência dos seus percursos e a diversidade da linguagem artística.

Cinco especialistas, entre os quais três elementos independentes, integraram a comissão de compra: o curador Sérgio Mah, a curadora Isabel Carlos, o curador Miguel Von Hafe Perez, e dois elementos da CML/EGEAC - a diretora do Atelier-Museu Júlio Pomar, Sara Antónia Matos, e a diretora do Museu de Lisboa, Joana Sousa Monteiro.

A seleção contempla obras de: Ana Santos; Augusto Alves da Silva; Bruno Pacheco; Catarina Dias; Dealmeida Esilva; Igor Jesus; Isabel Madureira Andrade; Joana Escoval; João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira; João Maria Gusmão & Pedro Paiva; Maria Capelo; Mattia Denisse; Miguel Palma; Noé Sendas; Nuno Henrique; Pedro Tropa; Ricardo Jacinto; Rosa Carvalho; Sara Bichão; Tatina Macedo; Teresa Carepo; Von Calhau!.

O FAAC, criado em 2016, visa a valorização dos acervos do município e a exposição de arte contemporânea nos seus equipamentos. Constitui uma fonte de empréstimo para instituições congéneres, contribuindo para uma representação mais alargada e uma compreensão profunda da história da arte contemporânea.

Terminada mais uma ArcoLisboa – este ano em edição online – a autarquia decidiu reforçar o apoio ao setor das artes plásticas/arte contemporânea. As obras de arte adquiridas vão integrar o acervo municipal, à guarda do Museu de Lisboa/EGEAC.

As aquisições tiveram em conta a diversificação de artistas, géneros e gerações, portugueses ou residentes há mais de três anos em território nacional, alargando as possibilidades de aquisição também a autores sem representação comercial, privilegiando a consistência dos seus percursos e a diversidade da linguagem artística.

Cinco especialistas, entre os quais três elementos independentes, integraram a comissão de compra: o curador Sérgio Mah, a curadora Isabel Carlos, o curador Miguel Von Hafe Perez, e dois elementos da CML/EGEAC - a diretora do Atelier-Museu Júlio Pomar, Sara Antónia Matos, e a diretora do Museu de Lisboa, Joana Sousa Monteiro.

A seleção contempla obras de: Ana Santos; Augusto Alves da Silva; Bruno Pacheco; Catarina Dias; Dealmeida Esilva; Igor Jesus; Isabel Madureira Andrade; Joana Escoval; João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira; João Maria Gusmão & Pedro Paiva; Maria Capelo; Mattia Denisse; Miguel Palma; Noé Sendas; Nuno Henrique; Pedro Tropa; Ricardo Jacinto; Rosa Carvalho; Sara Bichão; Tatina Macedo; Teresa Carepo; Von Calhau!.

O FAAC, criado em 2016, visa a valorização dos acervos do município e a exposição de arte contemporânea nos seus equipamentos. Constitui uma fonte de empréstimo para instituições congéneres, contribuindo para uma representação mais alargada e uma compreensão profunda da história da arte contemporânea.

ler mais
ler menos