COVID-19 Medidas e Informações

Cultura

 

Arte Urbana assinala abolição da pena de morte

Na zona de Santa Apolónia, o novo mural foi executado por Mário Belém.


Realizada no contexto da atribuição da Marca do Património Europeu à Carta de Lei da Abolição da Pena de Morte e destinada a assinalar as comemorações dos 150 anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal (1867-2017), Lisboa tem uma nova peça de arte urbana na zona de Santa Apolónia.

Da autoria do criador nacional Mário Belém, o mural foi executado entre 26 e 31 de março  na Calçada de Santa Apolónia/Rua da Bica do Sapato, perto do antigo Cais do Tojo da Bica do Sapato, local que no passado foi palco de execuções de penas capitais para servirem de exemplo público. 

Mário Belém, afirma o gabinete de Arte Urbana de Lisboa em comunicado, aceitou prontamente o desafio “e estruturou a sua intervenção tendo como temática central a abolição da pena de morte, fazendo-o pela positiva, pelo direito à vida, pela força, pela originalidade, pela diversidade." A sensibilização do público, em particular do mais jovem, para o valor do fim das penas capitais é um dos objetivos desta intervenção, lê-se na nota. 

Portugal foi um dos primeiros países a inscrever no seu sistema legal uma lei de abolição da pena de morte para crimes civis, colocando-se na linha da frente dos países pioneiros do desiderato inspirador do filósofo milanês Cesar Beccaria. Ontem, como hoje, a Carta de Lei de 1867 tem um forte valor simbólico para a Europa, na medida em que encerra em si muitos dos valores e ideais atualmente plasmados na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, designadamente, os que se fundamentam nos valores da tolerância e do respeito pela vida humana.

Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa em parceria com a Assembleia da República, o Ministério da Justiça Portuguesa, a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas do Ministério da Cultura, e com o Centro Cultural de Belém.

Sobre o artista: www.mariobelem.com | www.facebook.com/mariobellinni | instagram.com/mariobelem    

Realizada no contexto da atribuição da Marca do Património Europeu à Carta de Lei da Abolição da Pena de Morte e destinada a assinalar as comemorações dos 150 anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal (1867-2017), Lisboa tem uma nova peça de arte urbana na zona de Santa Apolónia.

Da autoria do criador nacional Mário Belém, o mural foi executado entre 26 e 31 de março  na Calçada de Santa Apolónia/Rua da Bica do Sapato, perto do antigo Cais do Tojo da Bica do Sapato, local que no passado foi palco de execuções de penas capitais para servirem de exemplo público. 

Mário Belém, afirma o gabinete de Arte Urbana de Lisboa em comunicado, aceitou prontamente o desafio “e estruturou a sua intervenção tendo como temática central a abolição da pena de morte, fazendo-o pela positiva, pelo direito à vida, pela força, pela originalidade, pela diversidade." A sensibilização do público, em particular do mais jovem, para o valor do fim das penas capitais é um dos objetivos desta intervenção, lê-se na nota. 

Portugal foi um dos primeiros países a inscrever no seu sistema legal uma lei de abolição da pena de morte para crimes civis, colocando-se na linha da frente dos países pioneiros do desiderato inspirador do filósofo milanês Cesar Beccaria. Ontem, como hoje, a Carta de Lei de 1867 tem um forte valor simbólico para a Europa, na medida em que encerra em si muitos dos valores e ideais atualmente plasmados na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, designadamente, os que se fundamentam nos valores da tolerância e do respeito pela vida humana.

Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa em parceria com a Assembleia da República, o Ministério da Justiça Portuguesa, a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas do Ministério da Cultura, e com o Centro Cultural de Belém.

Sobre o artista: www.mariobelem.com | www.facebook.com/mariobellinni | instagram.com/mariobelem    

ler mais
ler menos