COVID-19 Medidas e Informações

detalhe

HabitaçãoUrbanismo 

Aprovada Unidade de Execução Olivais Sul com criação de 310 habitações de renda acessível

Foi aprovada, em reunião de câmara de 27 de julho, a delimitação da Unidade de Execução Olivais Sul, que abrange um conjunto de terrenos que totalizam uma área de 71.752,77 m², no Parque das Nações, entre a Av. Infante D. Henrique, a linha do Norte e a Rua da Centieira.


A Unidade de Execução prevê a reconversão de parte da antiga zona industrial oriental e propõe uma solução de conjunto que promove a regeneração urbana desta área da cidade.

No modelo urbano proposto, está prevista a afetação de cerca de 25% de superfície de pavimento a uso habitacional, com a criação de um total de 310 habitações exclusivamente destinadas a renda acessível (256 vão ficar nos lotes privados e 54 no lote da CML), cuja atribuição às famílias arrendatárias será da responsabilidade da CML, nos termos do regulamento municipal do direito à habitação.

A introdução de habitação de renda acessível resultou de um acordo e negociação no âmbito dos instrumentos urbanísticos em vigor, conseguidos pela primeira vez com um privado em sede de unidade de execução.

A solução urbana de conjunto a desenvolver propõe a constituição de seis lotes, que totalizam uma superfície máxima de pavimento de 94.219,70 m2, com predominância de usos de serviços/atividades económicas, criando um novo centro de negócios, que se articula com a Estação do Oriente e a área central do Parque das Nações.

O modelo urbano prevê a concretização de um novo espaço verde a ceder ao município, com 28.574,96 m², e que ficará aberto ao usufruto da população em geral, constituindo uma continuidade e reforço da estrutura verde urbana, articulando-se com o Jardim do Cabeço das Rolas fronteiro.

Prevê, ainda, a realização de um conjunto de obras de urbanização, onde se incluem novos parqueamentos automóveis e novos arruamentos viários e pedonais, e a reabilitação dos edifícios industriais listados na Carta Municipal do Património Edificado e Paisagístico, respetiva integração na nova construção e no novo jardim a criar.

Seguir-se-á um período de discussão pública, a ponderação e a divulgação dos respetivos resultados e, posteriormente, elaborada a versão final da proposta de delimitação da Unidade de Execução, para aprovação da Câmara Municipal.
 

A Unidade de Execução prevê a reconversão de parte da antiga zona industrial oriental e propõe uma solução de conjunto que promove a regeneração urbana desta área da cidade.

No modelo urbano proposto, está prevista a afetação de cerca de 25% de superfície de pavimento a uso habitacional, com a criação de um total de 310 habitações exclusivamente destinadas a renda acessível (256 vão ficar nos lotes privados e 54 no lote da CML), cuja atribuição às famílias arrendatárias será da responsabilidade da CML, nos termos do regulamento municipal do direito à habitação.

A introdução de habitação de renda acessível resultou de um acordo e negociação no âmbito dos instrumentos urbanísticos em vigor, conseguidos pela primeira vez com um privado em sede de unidade de execução.

A solução urbana de conjunto a desenvolver propõe a constituição de seis lotes, que totalizam uma superfície máxima de pavimento de 94.219,70 m2, com predominância de usos de serviços/atividades económicas, criando um novo centro de negócios, que se articula com a Estação do Oriente e a área central do Parque das Nações.

O modelo urbano prevê a concretização de um novo espaço verde a ceder ao município, com 28.574,96 m², e que ficará aberto ao usufruto da população em geral, constituindo uma continuidade e reforço da estrutura verde urbana, articulando-se com o Jardim do Cabeço das Rolas fronteiro.

Prevê, ainda, a realização de um conjunto de obras de urbanização, onde se incluem novos parqueamentos automóveis e novos arruamentos viários e pedonais, e a reabilitação dos edifícios industriais listados na Carta Municipal do Património Edificado e Paisagístico, respetiva integração na nova construção e no novo jardim a criar.

Seguir-se-á um período de discussão pública, a ponderação e a divulgação dos respetivos resultados e, posteriormente, elaborada a versão final da proposta de delimitação da Unidade de Execução, para aprovação da Câmara Municipal.
 

ler mais
ler menos