COVID-19 Medidas e Informações

detalhe

Cidadania e ParticipaçãoEconomia 

Apresentação do Relatório e Contas de Lisboa 2020

Câmara apresenta contas de 2020, ano marcado pelo impacto económico da pandemia covid-19, e resposta às situações de emergência às famílias, empresas e instituições de Lisboa, com um peso considerável nas contas do município. O documento será em breve apresentado na Assembleia Municipal para análise e aprovação final.

Apresentação de relatório e contas 2020

Links relacionados

Lisboa Protege

Em 2020, revelou o vice presidente, João Paulo Saraiva, foram gastos 49,7 milhões de euros em apoios. Em 2021, estão já comprometidos 108 milhões de euros. 

Os números foram revelados hoje, 21 de maio, nos Paços do Concelho, durante a apresentação do Relatório e Contas de Lisboa 2020.

Apesar de tudo, adiantou, a Câmara Municipal de Lisboa (CML) conseguiu aumentar o investimento realizado. Nos últimos 4 anos, em todo o universo municipal, houve um aumento de quase 50% no investimento face ao mandato anterior, o que representa cerca de 736 milhões de euros de investimento entre 2018/2021.

No apoio às famílias, Lisboa continua a ter a maior taxa de devolução de IRS às famílias (2,5%), a taxa mais baixa de IMI (0,30%), e as tarifas mais baixas de saneamento e resíduos (10,36 €/valor mensal médio).

Apesar da pandemia, a CML conseguiu baixar novamente o passivo exigível (-72%), de um passivo de 1 169 milhões de euros em 2009, para 359 milhões, em 2020, uma diminuição de 810 milhões de euros. O resultado, acrescentou João Paulo Saraiva, possibilita o aumento da margem de endividamento por parte do município.

Sobre a dívida aos fornecedores, João Paulo Saraiva revelou que passou de 93 dias de prazo médio de pagamento em 2013, para uma média de 2,8 dias em 2020.

678 M€ de investimento em curso

Até ao final do ano, revelou o vice presidente, a CML tem em execução, do ponto de vista contratual, mais de 678 milhões de euros, de investimento total em curso e contratado: 155 M€, em Escolas, Creches, Centros de Saúde e Outros Equipamentos; 166 M€, em Infraestruturas e Saneamento; 127 M€ em Habitação; 104 M€ em Mobilidade; 64 M€ no Espaço Publico; 32 M€ no Turismo; 31 M€ Infraestrutura Verde, Parques Verdes e Ambiente.

Em 2020, revelou o vice presidente, João Paulo Saraiva, foram gastos 49,7 milhões de euros em apoios. Em 2021, estão já comprometidos 108 milhões de euros. 

Os números foram revelados hoje, 21 de maio, nos Paços do Concelho, durante a apresentação do Relatório e Contas de Lisboa 2020.

Apesar de tudo, adiantou, a Câmara Municipal de Lisboa (CML) conseguiu aumentar o investimento realizado. Nos últimos 4 anos, em todo o universo municipal, houve um aumento de quase 50% no investimento face ao mandato anterior, o que representa cerca de 736 milhões de euros de investimento entre 2018/2021.

No apoio às famílias, Lisboa continua a ter a maior taxa de devolução de IRS às famílias (2,5%), a taxa mais baixa de IMI (0,30%), e as tarifas mais baixas de saneamento e resíduos (10,36 €/valor mensal médio).

Apesar da pandemia, a CML conseguiu baixar novamente o passivo exigível (-72%), de um passivo de 1 169 milhões de euros em 2009, para 359 milhões, em 2020, uma diminuição de 810 milhões de euros. O resultado, acrescentou João Paulo Saraiva, possibilita o aumento da margem de endividamento por parte do município.

Sobre a dívida aos fornecedores, João Paulo Saraiva revelou que passou de 93 dias de prazo médio de pagamento em 2013, para uma média de 2,8 dias em 2020.

678 M€ de investimento em curso

Até ao final do ano, revelou o vice presidente, a CML tem em execução, do ponto de vista contratual, mais de 678 milhões de euros, de investimento total em curso e contratado: 155 M€, em Escolas, Creches, Centros de Saúde e Outros Equipamentos; 166 M€, em Infraestruturas e Saneamento; 127 M€ em Habitação; 104 M€ em Mobilidade; 64 M€ no Espaço Publico; 32 M€ no Turismo; 31 M€ Infraestrutura Verde, Parques Verdes e Ambiente.

ler mais
ler menos