Ambiente

 

A responsabilidade de Lisboa na batalha contra as alterações climáticas

Autarquias e parceiros europeus, elegem a sustentabilidade como o caminho a percorrer em conjunto. O compromisso foi assumido durante o jantar oficial de hoje, 10 de janeiro, na Estufa Fria, para assinalar a abertura de Lisboa Capital Verde Europeia 2020.

Símbolo de Lisboa Capital Verde Europeia 2020 - Estufa Fria

Durante a cerimónia, o vereador do Ambiente da Câmara de Lisboa, José Sá Fernandes, entregou aos autarcas de Oslo (Noruega), e Lahti (Finlândia), uma árvore que forma a palavra Lisboa – símbolo da iniciativa –, bem como as bandeiras da Capital Verde, de Lisboa e de Portugal, feitas a partir de plástico recolhido dos oceanos.

A cidade de Oslo, Capital Verde 2019, passa agora o testemunho a Lisboa. Em 2021, Lahti sucede à capital portuguesa como Capital Verde Europeia.

Lisboa “não é a cidade mais verde”, reconheceu Fernando Medina, “mas foi a que mais evoluiu”. Para o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, esta distinção é encarada como uma responsabilidade de futuro, um incentivo para a mudança e para a mobilização de todos na batalha contra as alterações climáticas.

 

ler mais
ler menos